Cuidado e Prevenção

O que é o pé diabético e como evitá-lo?

O que é o pé diabético e como evitá-lo

Entre as possíveis complicações causadas pelo diabetes, as feridas nos pés são um sinal que pode passar despercebido, mas que indicam que a doença não está devidamente controlada. 

Se não tratada, a condição conhecida como pé diabético pode transformar um simples machucado em um problema muito grave. 

Neste artigo, vamos entender tudo sobre esse problema, por que ele acontece, além de formas de evitar ou tratar.

Acompanhe!

O que é o pé diabético?

O quadro conhecido como pé diabético se refere a um conjunto de fatores provocados pelo diabetes, que tanto facilitam o surgimento de lesões quanto dificultam a cicatrização, levando a quadros complexos que, se não tratados corretamente, podem levar a amputações.

A glicemia elevada, típica do diabetes, tem o poder de afetar os nervos, reduzindo a sensibilidade à dor e ao toque, especialmente em extremidades como os pés (neuropatia periférica). Com isso, é comum que pacientes diabéticos sofram traumas e ferimentos nos pés e não percebam.

Além disso, a glicemia constantemente elevada causa problemas de circulação, fazendo com que – principalmente as extremidades – passem a receber menos oxigênio e nutrientes, reduzindo a velocidade e a eficiência da cicatrização, em caso de lesões.

Esses dois fatores combinados geram um cenário bastante perigoso para esses pacientes, já que passa a haver um maior risco de lesões e uma dificuldade para cicatrizá-las, configurando o quadro conhecido como pé diabético.

Com isso, se as feridas nos pés permanecerem abertas por muito tempo, elas se tornam uma porta de entrada para infecções, podendo causar outras complicações.

Veja também:

Diabetes tipo 2: como prevenir e tratar

Quais cuidados os diabéticos devem ter com os pés

Como vimos, pessoas diabéticas devem ter uma atenção redobrada com a saúde e proteção dos pés, já que estão mais expostas a lesões e complicações.

Nesse sentido, é importante ter todo o cuidado para evitar que lesões ocorram e, se ocorrerem, devem ser tratadas rapidamente e de forma adequada.

Para isso, alguns cuidados são essenciais, como:

  • Mantenha uma boa higiene dos pés, inclusive nos cantos das unhas e entre os dedos; lavando e secando bem.
  • Procure não andar descalço ou de chinelos de dedos, para evitar traumas nos pés e dedos.
  • Evite calçados rígidos ou apertados, que possam causar calos ou bolhas.
  • Muito cuidado ao cortar as unhas. Prefira lixá-las para evitar ferimentos ou cortes.
  • Desenvolva o hábito de inspecionar seus pés, unhas e região entre os dedos regularmente, em busca de indícios de lesões, ferimentos ou infecções. Caso perceba qualquer sinal suspeito, procure ajuda profissional para tratar o quanto antes.
O que é o pé diabético e como evitá-lo

Naturalmente, manter um bom controle do diabetes também é fundamental, já que a elevação da glicemia é um dos grandes causadores do pé diabético.

Veja também:

Frutas para diabéticos: o que evitar e o que pode comer?

Quais os tipos de tratamentos para as feridas

Apesar da causa para o pé diabético estar ligada a questões muito específicas, provocadas pela doença, o tratamento das lesões é feito de forma semelhante aos casos comuns de ferimentos nos pés, porém, é sempre importante buscar ajuda profissional para decidir o melhor tratamento.

A diferença está na forma de abordagem, que precisa ser mais rápida e disciplinada, já que os riscos de complicações são maiores.

Além disso, casos de pé diabético evoluem mais frequentemente para lesões mais graves, com possibilidade inclusive de tratamento cirúrgico.

Nesse sentido, as principais medidas recomendadas por profissionais costumam ser:

  • Uso de antibióticos – Especialmente nos casos em que há presença de secreções, pus e processos inflamatórios.
  • Uso de pomadas antibacterianas – Importantes para manter a pele protegida da ação de bactérias e micro-organismos, já que o tempo de cicatrização costuma ser maior.
  • Boa higiene – Limpeza regular, tanto com uma boa lavagem dos pés quanto com o uso de produtos antissépticos.
  • Cuidados com curativos e bandagens – Outro ponto fundamental no tratamento desse tipo de ferimento é a boa conservação e as trocas regulares de curativos e bandagens, visando manter a região limpa, seca e longe de contaminações.
  • Procedimentos cirúrgicos – Em casos mais complexos, pode ser necessária a abordagem cirúrgica do ferimento, seja para retirada de pele e tecidos contaminados quanto para a amputação de partes comprometidas.

Como não poderíamos deixar de citar, um bom controle da glicemia faz parte desses cuidados, já que com níveis mais baixos de açúcar no sangue, toda a cicatrização se acelera.

Veja também:

O que faz um(a) endocrinologista e quais doenças ele(a) trata

3 dicas para prevenir o diabetes

Embora a diabetes possa ser hereditária, o estilo de vida também pode ser um forte estímulo para o seu desenvolvimento. 

Confira a seguir 4 dicas para prevenir a doença.

1. Tenha uma alimentação equilibrada

Especialmente o consumo elevado de carboidratos e doces está diretamente relacionado ao desenvolvimento do diabetes, notadamente do tipo 2.

Por isso, é fundamental manter – ao longo da vida – uma moderação quanto ao consumo desse tipo de alimentos, além de incluir na dieta opções integrais e ricas em fibras, pois isso favorece uma absorção mais lenta e controlada da glicemia pelo organismo.

Veja também

Entenda a Pirâmide Alimentar: um guia de alimentação saudável

2. Tenha uma vida fisicamente ativa

Outro fator muito relacionado ao diabetes é o sedentarismo. A falta de atividades físicas regulares, levam ao acúmulo de gordura corporal e à elevação dos níveis de glicemia no sangue.

Além de combater o diabetes, os exercícios físicos ainda ajudam a melhorar a circulação sanguínea e a reduzir as chances de doenças como colesterol alto, obesidade e hipertensão.

O que é o pé diabético e como evitá-lo

Veja também:

Colesterol alto: sintomas e o que pode causar

3. Reduza o consumo de álcool e pare de fumar

O hábito de fumar e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas são dois fatores muito prejudiciais para diversas questões de saúde, inclusive o diabetes.

Esses comportamentos estimulam a hipertensão, o acúmulo de gordura corporal, problemas cardiovasculares, danos aos vasos sanguíneos e dificultam o controle do diabetes. 

Pé diabético: a prevenção é o melhor cuidado!

O diabetes é uma das chamadas “doenças silenciosas”, ou seja, não costuma dar sinais até que o quadro esteja bastante avançado, já com comprometimento de diversos órgãos e estruturas do nosso corpo, como rins, olhos e sistema cardiovascular.

Além dos cuidados citados acima, é fundamental manter o acompanhamento médico regular, além das medições de glicemia, mesmo de forma preventiva, para identificar possíveis alterações o quanto antes.

Gostou do conteúdo? Compartilhe com mais pessoas para que elas também possam se beneficiar. Ajude a levar adiante essa corrente de cuidado e prevenção.

———————–

Promover a assistência à saúde aos seus beneficiários, por meio de uma gestão sustentável, ética, inovadora e transparente é a missão da GEAP Saúde – Fundação de Assistência ao Servidor Público!

QUERO SER UM BENEFICIÁRIO GEAP

Related posts
Cuidado e Prevenção

Autismo: principais sinais em cada fase e como é feito o diagnóstico!

5 Minutos de Leitura
O transtorno do espectro autista (TEA) é uma alteração congênita (desde o nascimento) do desenvolvimento neurológico, que afeta diversos aspectos da vida…
Cuidado e Prevenção

Hipertensão arterial: como prevenir, diagnosticar e tratar corretamente

5 Minutos de Leitura
A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é uma das doenças cardiovasculares mais frequentes, atingindo homens e mulheres de diferentes faixas…
Cuidado e Prevenção

Doença de Parkinson: sinais e como tratar adequadamente!

6 Minutos de Leitura
De acordo com o Ministério da Saúde (MS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem mais de 4 milhões de pessoas…