Cuidado e Prevenção

Conheça as 7 doenças mais comuns entre os brasileiros

oenças mais comuns entre os brasileiros

As chamadas Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) estão entre as principais causas de morte no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Embora fatores genéticos estejam envolvidos em muitos desses quadros, sua ocorrência também tem forte ligação com hábitos ruins (sedentarismo e má alimentação) e idade avançada.

Todas essas doenças têm, como característica comum, seu avanço lento, progressivo e silencioso, o que as torna ainda mais perigosas. Além disso, são condições crônicas, para as quais deve-se buscar o controle, não havendo cura.

Conhecer como esses problemas surgem e se desenvolvem, bem como os cuidados necessários, é fundamental para redução dos riscos.

Por isso, listamos neste artigo as 7 doenças mais comuns entre os brasileiros.

Confira!

As 7 doenças mais comuns entre os brasileiros

1. Diabetes

O Brasil é o 5º da lista em um levantamento mundial de países com incidência de diabetes, com 16,8 milhões de doentes adultos (20 a 79 anos).

O diabetes surge quando há uma produção insuficiente ou uma má absorção de insulina pelo pâncreas; substância que ajuda a controlar o nível de glicose no sangue. 

Esse excesso de açúcar na corrente sanguínea – podendo chegar a praticamente todos os órgãos e tecidos do corpo – provoca uma série de riscos, que vão desde dificuldade de cicatrização, problemas renais e até cegueira.

Existem dois tipos de diabetes: sendo o tipo 1, de origem genética, e o tipo 2 desenvolvido ao longo da vida, por questões ligadas aos hábitos da pessoa (90% dos casos).

Entre os principais sintomas, que podem servir de sinais de alerta, podemos citar, a vontade frequente de urinar, sede ou fome constantes, infecções de repetição, alterações de visão (vista embaçada), dificuldade para cicatrizar cortes e ferimentos na pele, além de formigamento em mãos ou pés.

Apesar de seu forte componente genético, existem cuidados que podem ser tomados para reduzir os riscos de apresentar o problema, como:

  • Manter uma boa alimentação, com consumo regular de frutas, verduras e legumes.
  • Reduzir o consumo de sal, açúcar e gorduras.
  • Não fumar.
  • Praticar exercícios físicos regulares (mínimo de 150 minutos por semana).
  • Manter o peso controlado. 

2. Hipertensão

Popularmente conhecida como pressão alta, a hipertensão ocorre quando a pressão sanguínea apresenta valores constantemente elevados, em geral superiores a 140/90 mmHg (14 por 9). 

Um dos grandes riscos da hipertensão é seu caráter silencioso. Em geral, a doença não apresenta sinais claros, até que algum efeito mais grave ocorra, como infarto, insuficiência cardíaca ou um acidente vascular cerebral (mais conhecido como derrame).

Os principais cuidados relacionados a essa condição é limitar o consumo de sal na alimentação, evitando acrescentá-lo aos alimentos na mesa, ficando atento(a) ao nível de sódio de alguns produtos industrializados e mantendo o hábito de aferir a pressão arterial regularmente.

3. Alzheimer

O Alzheimer é uma doença que vai progressivamente reduzindo o funcionamento das células cerebrais, especialmente relacionadas à memória. Ela é mais comum em pessoas com mais de 65 anos, mas em situações mais raras também pode surgir antes disso. 

Não há uma causa definida para o surgimento da enfermidade, porém, há indícios de que além da idade, genética e histórico familiar, a ausência de hábitos saudáveis e de uma alimentação equilibrada podem contribuir. 

Além disso, outros problemas de saúde como, obesidade, diabetes descontrolada e pressão alta também são vistos como fatores que predispõem pessoas mais idosas à doença. 

Ao perceber qualquer sinal de perda de memória, é importante procurar a ajuda de um(a) geriatra para o diagnóstico e início de tratamento. 

Entre alguns dos cuidados recomendados pelos médicos, estão:

  • Manter uma rotina de atividade intelectual, como estudos, leitura e aprendizados em geral.
  • Manter o convívio social e as relações interpessoais.
  • Praticar atividades físicas regulares.
  • Adotar a chamada dieta do mediterrâneo, rica em azeite, castanhas, grãos integrais e vinho com moderação.
  • Ter uma boa qualidade de sono.
  • Controlar a hipertensão.

Alguns exames de rotina são fundamentais para manter a saúde em dia! Neste artigo listamos os principais, que você não pode deixar de lado!

4. Depressão

A depressão não está entre as doenças mais comuns apenas entre os brasileiros, mas sim em todo o mundo. 

Trata-se de um quadro que afeta a bioquímica cerebral, afetando a produção de substâncias responsáveis pelas sensações de prazer, satisfação, humor e disposição, fazendo com que a pessoa desenvolva uma tristeza profunda e persistente – mesmo sem motivo aparente – tornando-se incapaz de reagir sem o auxílio de um tratamento. 

Ainda não há uma causa definida para essa enfermidade, mas existem indícios de que alguns fatores contribuam para o quadro, como estresse e ansiedade, alterações hormonais, histórico familiar, sono de má qualidade, entre outros fatores.

O diagnóstico em geral é feito por um(a) psicólogo(a), que irá avaliar o quadro e decidir se o tratamento deve ser feito apenas com psicoterapia (quadros mais leves) ou se será preciso encaminhar o(a) paciente para acompanhamento médico – com psiquiatra ou neurologista – para prescrição de medicamentos. 

A ansiedade é uma das principais causas de depressão. Veja, neste artigo, dicas de como se prevenir!

5. AVC (Acidente Vascular Cerebral)

Existem dois tipos de acidentes vasculares cerebrais: o hemorrágico e o isquêmico.

Enquanto o primeiro é causado pelo rompimento de um vaso (em geral, provocado pela hipertensão), o segundo ocorre quando há obstrução de uma artéria e o fluxo sanguíneo (e de oxigênio) para o cérebro é interrompido. 

Ambos podem causar sequelas irreversíveis aos neurônios, que vão desde a perda de movimentos e da fala, até mesmo o risco de morte. 

Os sintomas mais comuns de que alguém está tendo um quadro de AVC é a dificuldade para falar e a paralisia de uma parte do corpo, geralmente de um mesmo lado.

O diagnóstico é feito por meio do exame clínico do(a) paciente, sendo confirmado com exames de imagem, como ressonância e tomografia do cérebro.

Caso você perceba alguém próximo apresentando os sintomas citados, procure atendimento médico de emergência.

Além do AVC, conheça outras 4 doenças cardiovasculares que trazem grandes riscos e veja como se proteger!

6. Dislipidemia (colesterol alto)

Quando falamos em colesterol, nos referimos a um grupo de gorduras produzidas pelo fígado, que é fundamental para a produção de diversos hormônios importantes para nosso corpo.

Existe o colesterol LDL, conhecido popularmente como “colesterol ruim”, e o colesterol HDL, o chamado “colesterol bom”.

Quando a concentração dessas gorduras está elevada no organismo, isso pode acabar afetando os vasos sanguíneos, causando obstruções, aumentando os riscos de problemas cardiovasculares, como infarto, derrame, entre outros. 

O aumento do colesterol alto está diretamente associado a fatores como o consumo de alimentos ricos em gordura animal, sedentarismo, alcoolismo e tabagismo. No entanto, hoje a medicina já sabe que o fator mais importante é mesmo a tendência genética de cada indivíduo, já que cerca de 70% do colesterol do nosso corpo é produzido pelo próprio organismo.

Existem várias formas de se prevenir dos riscos desse problema tão importante, bem como de reduzir os níveis dessas gorduras. Você tem acesso a todas as dicas no artigo abaixo:

Quer saber como combater o colesterol alto? Confira aqui!

7. Câncer

O câncer é uma das doenças mais conhecidas, principalmente pela grande variedade de tipos, graus de agressividade e por afetar pessoas de todas as fases da vida, apesar de ser mais frequente em idades mais avançadas

Trata-se multiplicação desordenada de células anormais, atacando as células saudáveis, podendo ocorrer em praticamente todas as regiões do corpo. 

A maior dificuldade para a prevenção do câncer é seu caráter genético e hereditário. Além disso, os idosos também apresentam um risco mais elevado para neoplasias.

Cada tipo de câncer pede cuidados preventivos diferentes, sendo importante estar atento a possíveis fatores de risco e procurar manter um estilo de vida saudável, adotando cuidados como:

  • Manter uma boa alimentação, rica em fibras e moderada em carnes vermelhas;
  • Realizar atividades físicas regularmente;
  • Evitar o excesso de peso;
  • Não se expor ao sol sem proteção por longos períodos;
  • Moderar o consumo de álcool;
  • Realizar a mamografia anualmente, a partir dos 40 anos (para as mulheres);
  • Evitar cigarro. 

Além disso, é fundamental manter o hábito das consultas e exames de rotina, para que seu(sua) médico(a) possa acompanhar sua saúde em geral e sugerir os cuidados e as investigações necessárias. 


Como foi possível observar, muitas das doenças mais comuns entre brasileiros têm como um dos principais fatores de risco a ausência de uma vida saudável e de um acompanhamento médico regular. 

Estar atento à nossa própria saúde é o cuidado mais importante que podemos ter para evitar a grande maioria dos problemas de saúde.

Promover a assistência à saúde aos seus beneficiários, por meio de uma gestão sustentável, ética, inovadora e transparente é a missão da GEAP Saúde – Fundação de Assistência ao Servidor Público!

Related posts
Cuidado e Prevenção

5 motivos para procurar um(a) cardiologista!

4 Minutos de Leitura
O coração é o órgão mais importante de todo o sistema cardiovascular, sendo responsável por bombear o sangue para todo o corpo,…
Cuidado e Prevenção

Conheça os principais sintomas da enxaqueca!

5 Minutos de Leitura
As dores de cabeça estão entre as doenças mais incapacitantes do mundo, especialmente quando se trata da enxaqueca.  Segundo a Sociedade Brasileira…
Cuidado e Prevenção

Problemas de visão em bebês: como descobrir!

5 Minutos de Leitura
Identificar problemas de visão em bebês é uma tarefa desafiadora e, ao mesmo tempo, essencial para a qualidade de vida dos pequenos….