Promoção à Saúde

Espaço Parto Adequado
A+ A-

A Geap Autogestão em Saúde apoia o Projeto Parto Adequado, trata-se de iniciativa conjunta da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), do Hospital Israelita Albert Einstein e do Institute for Healthcare Improvement (IHI), com o apoio do Ministério da Saúde, a ser implementado em hospitais privados e públicos, com auxílio das operadoras de saúde e tem como objetivo incentivar o parto normal e reduzir a ocorrência de cesarianas desnecessárias.

Informamos ainda que:

O parto normal é isento de coparticipação.
As consultas obstétricas e partos são isentos de carência.

Percentuais de taxas de partos cesáreos e normais

Pensando na garantia do acesso da mulher a todas as informações necessárias para tomar a decisão sobre o tipo de parto, a ANS criou a Resolução Normativa nº 368. Esta Resolução garante a gestante o acesso aos percentuais de partos cesáreos e normais realizados por sua operadora.

A GEAP disponibiliza, quando solicitado após 31 de março, os percentuais de partos relativos ao ano anterior à solicitação, quando solicitado entre o período de 01 de janeiro a 31 de março, a GEAP disponibiliza os percentuais do segundo ano anterior ao pedido de solicitação.

Para obter informações sobre o percentual de partos realizados pela GEAP procure a Gerência da Geap em seu estado ou ligue para a Central de Atendimento 0800 728 8300.

Direito ao acompanhante no trabalho de parto

Durante todo o trabalho de parto (pré-parto, parto e pós–parto imediato) a mulher tem direito, garantido pela Resolução Normativa ANS nº 387, a um acompanhante de sua livre escolha, podendo ser homem ou mulher.

A mulher e seu acompanhante têm direito a um ambiente sossegado, arejado, privativo e sem ruído durante o trabalho de parto. É fundamental que a mulher seja acompanhada por uma pessoa que a traga confiança.

Enfermeiro obstetra e obstetriz no acompanhamento do trabalho de parto e do próprio parto

O enfermeiro obstetra e a obstetriz são profissionais de saúde com formação específica e competência legal para a realização da assistência obstétrica. As atribuições destes profissionais podem ser bastante amplas, podendo envolver atividades de acompanhamento da mulher no pré-natal, pré-parto, parto e puerpério.

A ANS dispõe, por meio a Resolução Normativa nº 398, sobre a obrigatoriedade de credenciamento de Enfermeiros Obstétricos e Obstetrizes por Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde e Hospitais que constituem suas redes, quando viável, e sobre a obrigatoriedade de os médicos entregarem a Nota de Orientação à Gestante  .

A GEAP possui em sua rede credenciada a atuação de enfermeiros obstétricos. Seguem os hospitais que dispõe destes profissionais:

Termo de consentimento Livre e Esclarecido na Cirurgia Cesariana

A escolha sobre o melhor método de parto a se submeter é com certeza um assunto que permeia todas as mulheres durante a gestação. A gestante deve ser a grande protagonista deste momento tão esperado, participando ativamente dessa decisão, juntamente com seu médico, considerando a evolução apresentada em todo o trajeto da gestação.

O direito da gestante em optar pela cirurgia cesariana é garantido por lei, entretanto, como a cirurgia cesariana sem indicação médica é um procedimento cirúrgico que acarreta riscos para a mãe e o para o bebê, a gestante deverá assinar um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido Na Cirurgia Cesariana   

Mais informações sobre o Projeto

Gestação

Pré Natal

O pré-natal é a assistência à saúde prestada à mulher e ao bebê durante a gravidez, com o objetivo de acolher a mulher desde o início da gravidez, assegurando, no fim da gestação, o nascimento de uma criança saudável e a garantia do bem-estar materno e neonatal.

Durante as consultas de pré-natal o médico irá conversar com a gestante sobre a gravidez, ouvindo suas dúvidas e queixas, permitindo que ela expresse suas preocupações, sentimentos e angústias. O pré-natal deve ser iniciado o mais precoce possível, tão logo seja descoberta a gravidez, preferencialmente no primeiro trimestre de gestação e a gestante não deverá faltar a nenhuma consulta.

É essencial que em todas as consultas de pré-natal o médico verifique o peso e a pressão arterial da gestante, e se há sinais de anemia e inchaço. A partir da 12ª semana de gestação, o profissional também deverá medir a barriga da mulher e ouvir as batidas do coração do bebê. O médico também irá avaliar as vacinas da gestante, orientar a vacinação, solicitar os exames e prescrever medicações, caso necessário.

As principais informações da gestação devem ser registradas no Cartão da Gestante, em cada consulta realizada. Ele consolida o histórico da gestação e facilita o acompanhamento por parte dos profissionais de saúde. A gestante deverá guardar o seu Cartão da Gestante com cuidado e o ter sempre em mãos, ele é o documento que comprova a gestação.

Gestantes, Convide seu parceiro para participar do pré-natal, o estimule a participar das discussões sobre a decisão sobre o tipo de parto. A gestação, o parto, o nascimento e o puerpério são eventos carregados de sentimentos profundos, momentos de crises construtivas, pode ser um bom momento para fortalecer a relação entre vocês e o bebê.

Principais exames solicitados

Hemograma
importante para identificar problemas durante a gravidez como a anemia (deficiência de ferro).
Hemoglobina
identifica doenças como falciforme e talassemia, causando anemias e dificultando o transporte de oxigênio.
Tipagem sangüínea e Fator RH
esse exame identifica a tipagem sanguínea da gestante. Se a mãe tem o sangue Rh negativo e o pai do bebê Rh positivo, após o parto, caso o bebê tenha Rh positivo, a mãe deverá tomar uma vacina para evitar problemas nas próximas gestações.
Glicemia
mede a quantidade de açúcar presente no sangue, indicando se a gestante apresenta algum tipo de diabetes.
Exame de urina e urocultura
avalia a presença de infecção urinária que pode levar ao parto prematuro.
Teste de sífilis
VDRL - identifica a sífilis, uma doença sexualmente transmissível que pode passar da mãe para o bebê durante a gestação. Quando não tratada, essa doença pode causar aborto, morte do feto, parto prematuro, morte do recém-nascido, má formações e baixo peso ao nascer.
Teste de HIV
identifica a presença do vírus da AIDS, que pode ser transmitida da mãe para o filho durante a gravidez, o parto ou a amamentação.
Teste para hepatite B
identifica o vírus da hepatite B que pode passar da mãe para o bebê durante a gravidez.
Exame de toxoplasmose
identifica a presença dessa doença que é adquirida através da ingestão de alimentos contaminados.
Papanicolau
identifica o câncer de colo do útero. É um exame que deve ser realizado periodicamente por todas as mulheres, sendo gestantes ou não.
Ultrassonografia Obstétrica
avalia a localização do bebê dentro do útero, número de fetos, formação e crescimento do feto e ainda para aferir o tempo da gestação. A ultrassonografia obstétrica poderá ser realizada em qualquer fase da gestação.

Vacinas na gestação

Vacina DT
protege a gestante e o bebê contra tétano, difteria e coqueluche e deverá ser tomada entre a 27º e a 36º semana de gestação.
Vacina contra Hepatite
caso não seja vacinada, deve tomar três doses para ficar protegida.
Vacina contra gripe (Influenza)
recomenda-se para toda gestante e mulher após o parto, durante a campanha de vacinação.

Alimentação saudável

A gestação é um momento que requer alguns cuidados especiais, como por exemplo, a alimentação. Durante a gestação procure ter uma alimentação balanceada, equilibrada e diversificada, prefira os alimentos naturais e com menor processamento industrial. Essas medidas são necessárias para a saúde e bem-estar, e para a formação e o crescimento adequado do bebê.

  • 1- Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches saudáveis por dia, evitando ficar mais de três horas sem comer. Não se esqueça de tomar água, pelo menos 2 litros por dia;
  • 2- Adicione as refeições diárias alimentos como arroz, milho, pão, feitos com farinha de trigo e mandioca. Dê preferência aos alimentos naturais que possuem fibras, vitaminas e minerais;
  • 3- Consuma diariamente pelo menos três porções de legumes ou verduras e três porções ou mais de frutas;
  • 4- Coma diariamente arroz e feijão ou pelo menos cinco vezes na semana. Essa combinação é rica em proteínas essenciais para o organismo e para a saúde;
  • 5- Consuma diariamente três porções de leite e derivados, não se esquecendo das carnes, aves, peixes ou ovo pelo menos uma vez ao dia, retirando toda a gordura aparente;
  • 6- Consuma, no máximo, uma porção diária de óleos vegetais, azeite, margarina ou manteiga. Lembre-se de olhar o rótulo dos alimentos e escolher aqueles que são livres de gorduras trans.;
  • 7- Evite o consumo de refrigerantes, sucos industrializados, biscoitos recheados e outras guloseimas, pois estes contém uma quantidade alta de açúcares simples que podem levar a um excesso de peso e doenças como diabetes gestacional e hipertensão;
  • 8- Diminua a quantidade de sal nos alimentos e não adicione mais sal às comidas prontas, pois o sal além de aumentar a pressão, ajuda na retenção de líquido, causando inchaço e má circulação sanguínea;
  • 9- Consuma sempre fontes de ferro como carnes, vísceras, feijão, folhas verdes escuras, grãos integrais. Para aumentar a absorção é interessante ingerir esses alimentos associados a uma fonte de vitamina C como sucos de laranja;
  • 10- Mantenha seu ganho de peso em níveis saudáveis. Pratique atividade física, com o acompanhamento de um profissional da área. Evite o consumo de bebidas alcóolicas e o fumo.

Fonte: Ministério da Saúde, 2016.

Além de uma boa alimentação, é recomendado o uso de ácido fólico e sulfato ferroso, conforme orientação médica.

Cuidados importantes

A gestação é um momento único, e assim como os cuidados tomados com a saúde do bebê, a gestante também precisa de cuidados consigo, com seu corpo e com seus hábitos diários.

Seguem abaixo alguns cuidados, juntamente com esclarecimentos sobre a sua prática.

Exposição ao sol
A exposição ao sol é recomendada no início da manhã e no final da tarde, por 20 minutos, sendo importante também, se possível, a exposição das mamas. Lembrando o uso de protetor solar.
Tinturas de cabelo e produtos alisadores
Não utilizar, principalmente aqueles que contem amônia, são prejudiciais a saúde do bebê.
Cigarro
Tanto o uso quanto a inalação da fumaça são prejudiciais ao bebê.
Sono
Durma 8 horas por noite. Em casos de muito sono, procure repousar durante o dia.
Cuidados com os dentes
Durante a gestação, seus dentes e gengivas precisam de cuidados especiais. Visite seu dentista.
Sexo na gestação
O desejo sexual é variável durante a gestação, principalmente pela ação dos hormônios, podendo haver mulheres com maior vontade de fazer sexo e outras com menor vontade. A atividade sexual não causa nenhum prejuízo ao bebê e nem a gestante, podendo ser muito prazerosa e auxiliar no parto. Algumas posições podem causar desconforto, devendo ser evitadas e caso haja sangramento durante o ato sexual ou saída de qualquer outro líquido, e o médico deverá ser informado.

Postura e exercício físico

Durante o período gestacional o corpo da mulher passa por diversas alterações e processos adaptativos, que envolvem sistemas como o respiratório e o urinário, alterações da composição corporal e do metabolismo da gestante.

A prática de exercícios físicos durante a gestação é recomendada, desde que a gestante não apresente risco na gravidez e tenha autorização médica. A postura correta é essencial, evitando a ocorrência de dores, sobrecarga na coluna cervical e nos calcanhares e proporcionando o bem-estar à gestante. Seguem algumas dicas:

  • O uso de sapatos de salto alto deverá ser evitado, pois causam maior sobrecarga nos calcanhares, dificultando ainda mais o equilíbrio e a locomoção, contribuindo para dor e inchaço nas pernas, aumentando a sensação de cansaço;
  • Pratique exercícios físicos como caminhada leve, alongamentos e pilates, pois estimulam o aumento do fluxo sanguíneo e a flexibilidade e fortalecimento da musculatura, facilitando o parto;
  • A musculação pode ser realizada após os primeiros 90 dias de gestação, se não houver risco para a gestante e sempre com o acompanhamento de um educador físico. Exercícios que causem contração abdominal também não são recomendados;
  • Procure deitar-se para o lado esquerdo com um travesseiro entre as pernas, esta posição favorece a passagem de oxigênio para o bebê;
  • Exercite a respiração, respire lentamente e profundamente, várias vezes ao dia. Isso pode ajudar nos momento de desconforto e inquietude;
  • Para apanhar objetos no chão, abaixe-se com os joelhos dobrados, sem forçar a coluna, evitando a sobrecarga na coluna cervical.

Manter-se ativa durante a gestação trás muitos benefícios tanto para a gestante quanto para o bebê, prevenindo doenças como o diabetes gestacional e a hipertensão arterial sistêmica, além de estimular a circulação sanguínea e melhorar a regulação hormonal.

Intercorrências comuns

Durante a gravidez, a gestante pode apresentar intercorrências que apesar de serem comuns, causam desconforto.

O surgimento de náuseas e vômitos, principalmente matinais, a vontade de comer coisas estranhas como tijolo ou sabonete, intestino preso e outros sintomas possuem causas fisiológicas e emocionais, que podem ser prevenidas ou abrandadas com simples ações e mudanças de hábito das gestantes.

Listamos aqui algumas dicas para auxiliar na redução desses sintomas e evitar o desconforto provocado por eles:

Enjoos e vômitos
Como prevenir:
  • Fracionar as refeições em seis ou oito vezes ao longo do dia, procurando não ficar mais de 3 horas sem comer, e evitar ingerir líquidos junto às refeições;
  • Evitar alimentos fritos, muito gordurosos e que possuem cheiro forte ou desagradáveis;
  • Ingerir alimentos sólidos antes de levantar-se pela manhã como, por exemplo, um pedaço de pão ou biscoito tipo “água e sal” e não realizar movimentos bruscos ao levantar;
  • Adiar a escovação, evitando os primeiros minutos após levantar.
Azia e Queimações
Como prevenir:
  • Fracionar bem as refeições, ingerindo menores quantidades de alimentos, várias vezes ao dia, mastigando bem os alimentos, evitando a ingestão de líquidos junto às refeições;
  • Evitar o consumo de alimentos como: frituras, café, chá preto ou mate, alimentos muito gordurosos e picantes, doces em excesso, álcool e fumo;
  • Não deitar na primeira hora após a ingestão dos alimentos.
Aumento da frequência urinária Queixas urinárias
Como prevenir:
  • Essa condição é comum, não há como diminuir esse sintoma, porém se você sentir dor ou queimação na hora de fazer xixi pode ser um sinal de infecção, relate esses sintomas ao seu médico.
Manchas na pele (cloasma gravídico)
Como prevenir:
  • É um acometimento muito comum na gravidez, porém desaparece ou diminui significativamente após o parto. O uso de protetor solar deve ser constante e diário.
Sangramento da gengiva (Gengivite)
Como prevenir:
  • Adotar hábitos de higiene bucal diários, como a escovação e a utilização de fio dental. A utilização de uma escova macia também é recomendável.
Cãibras e varizes
Como prevenir:
  • As cãibras podem ser evitadas aumentando o consumo de água e o consumo de banana, por ser rica em potássio. Para as varizes, é importante elevar as pernas a cada duas horas e evitar ficar sentada ou em pé por tempo prolongado. É importante evitar o uso de roupas muito apertadas.
É muito importante se proteger contra o mosquito que transmite a dengue, chikungunya e o Zica Vírus. O repelente deverá ser utilizado diariamente e a eliminação de criadouro no ambiente deverá realizada, não deixando água parada.

A preparação para o parto

O período do parto traz consigo uma série de emoções para a gestante, que vão desde a felicidade e ansiedade a até o medo e a incerteza de como vai ser, se já está preparada para ser mãe e como ocorrerá o parto em si.

Ao longo da gestação, o corpo vai se preparando para o grande momento, enviando sinais para a mulher de que o momento está se aproximando. Próximo à data do parto a barriga começa a endurecer e começam a aparecer contrações que não duram muito tempo. Nesse momento não precisa se desesperar e correr para o hospital, você pode tomar um banho e deitar aguardando e monitorando a evolução das contrações, esperando que fiquem fortes e regulares. Dias próximo ao parto, poderá sair pela vagina um muco grosso amarelado com um pouco de sangue, o tampão mucoso, indicando que o parto está próximo.

Alguns sinais indicam o início do parto, quais sejam:

  • O endurecimento da barriga a cada 5 minutos, por 30 segundos ou mais, permanecendo assim por 1 hora;
  • O rompimento da bolsa com o vazamento de líquido pela vagina. Neste caso, é necessário ir ao hospital mesmo que não haja contrações, para ser avaliada por um profissional.

A mudança de posição promove alívio das dores e diminuir o tempo de parto. Outras ações como: tomar banho de chuveiro, beber água, comer alimentos leves e respirar profundamente no ritmo da contração aliviam as dores, promovem maior energia e facilitam a abertura do canal vaginal para a saída do bebê.

O parto

Diferenças entre o parto normal e o parto cesáreo

Ao longo da gestação muito se ouve sobre os tipos de parto, e sobre os reflexos que ela traz para a mãe e o bebê. O parto normal sempre é o mais indicado, pois é uma condição natural para o qual o corpo vem se preparando durante a gestação. Porém, há casos em que o parto cesáreo é indicado.

Segue abaixo as diferenças entre o parto normal e o parto cesáreo:

Parto Normal Parto Cesáreo
Promove rápida recuperação, facilitando o cuidado com o bebê no pós-parto Promove mais dores e dificulta o andar e o cuidar do bebê após o parto.
Há menos riscos de complicações e favorece o contato pele a pele imediato com o bebê e o aleitamento imediato Aumenta o risco de febre, infecção, hemorragia e interferência no aleitamento
O bebê, na maioria das vezes, vai direto para o colo da mãe após o parto Aumenta os riscos de prematuridade, onde o bebê precisa ficar na incubadora, sendo afastado da mãe e prejudicando o aleitamento.
O bebê nasce no tempo adequado e tem seus órgãos e sistemas estimulados por meio das contrações e pela passagem pela vagina. O bebê possui maiores riscos de desenvolver problemas respiratórios e alergias na idade adulta.

O primeiro encontro com o bebê, ainda no ambiente do hospitalar, é fundamental para o estabelecimento de vínculos entre a mãe e o filho, transmitindo segurança e dando a sensação à ele de que ele é bem-vindo e muito amado.

Aproveite a sua gestação, cuidando-se e curtindo cada minuto até o nascimento, quando o momento do parto chegar fique tranquila e confiante. Quando ele chegar dê muito carinho, amor e cuide direitinho do seu bem mais precioso.

Pós-parto

Informações e Orientações importantes

A chegada do bebê do bebê desperta sentimentos variados. Todos que vivem em todo dela terão a necessidade se adaptar.

Ao chegar em casa, procure descansar sempre que seu bebê estiver dormindo. Nos primeiros dias de vida a criança troca o dia pela noite, deste modo, aproveite para dormir mesmo durante o dia.

É importante uma alimentação saudável e a ingestão de bastante água, para favorecer a sua recuperação e a amamentação. Aumente o consumo de frutas e verduras. Evite bebidas alcoólicas, cigarros e outras drogas.

Seu útero estará voltando para o tamanho normal. Por isso é comum ter cólicas, que às vezes aumentam durante a amamentação. Sangramento vaginal é normal nas primeiras semanas.

Caso apresente dores abdominais, sangramento vaginal com mau cheiro e ou febre, procure seu médico, são sintomas de infecção.

Consulta Pós-parto

Você e seu bebê devem retornar ao médico até sete dias após o parto. Sempre que possível esteja acompanhado do seu parceiro.

O atendimento pós parto é importante para:

  • Saber como está a sua saúde e a do seu bebê;
  • Avaliar amamentação e sangramento vaginal;
  • Quando Cesário, avaliar a cicatrização e retirar pontos;
  • Examinar seu bebê, vacinar e realizar testes;
  • Discutir sobre o planejamento familiar e os métodos contraceptivos indicados;
  • Retirar as dúvidas e receber orientações sobre cuidados com você e com o seu bebê;

Aleitamento Materno

Amamentar é um ato de amor!

O ato de amamentar vai além de alimentar uma criança, é um importante momento de aproximação entre mãe e filho. O contato estabelecido no momento do aleitamento fortalece os laços afetivos entre ambos, construindo assim uma relação de segurança, confiança e proteção à nova vida que inicia.

Duração do aleitamento materno

O Ministério da Saúde preconiza o aleitamento materno exclusivo (sem inclusão de alimentos líquidos ou sólidos na dieta) até os seis meses de idade e complementar até os dois anos de idade ou mais.

Benefícios do Aleitamento materno

  • Protege contra a diarreia;
  • Protege contra infecções respiratórias e diminui a gravidade dos episódios quando ocorridos;
  • Diminui o risco de alergia ao leite de vaca, de eczema atópico e de outros tipos de alergias incluindo asma e ruídos pulmonares recorrentes;
  • Reduz o risco de doenças crônicas no futuro;
  • Diminui a chance de obesidade futura;
  • Auxilia no desenvolvimento cognitivo e no desenvolvimento bucal, favorecendo a formação da arcada dentária.
  • Para a mulher, este momento de realização traz outros benefícios, como a proteção contra o câncer de mama e menores de chances de gravidez nos seis primeiros meses de aleitamento materno, desde que exclusivo.

Além de todos os benefícios, o leite materno é prático, pois está sempre pronto, não exige preparo e não tem custos financeiros.

Composição do Leite Materno

O leite materno produzido nos primeiros dias do bebê é denominado colostro. Esse líquido possui mais proteínas e menos gorduras do que o leite produzido após o sexto dia. No inicio da mamada, o leite apresenta cor mais clara, devido ao seu alto teor de água.

É importante ressaltar que a cor do leite varia de acordo com o decorrer de cada mamada: o leite ingerido ao final de cada sessão é mais calórico que o leite do início, sendo mais rico em energia, encorpado e de cor branca opaca. Por isso é importante orientar que a cada mamada seja esvaziada uma mama, para depois "passar" para outra.

A imunidade adquirida pela mãe ao longo da vida é passada para o bebê por meio do leite materno. Contudo, sua concentração de anticorpos diminui ao longo do primeiro mês, por isso é tão importante iniciar o aleitamento o quanto antes.

Forma de amamentação

Para ter sucesso na amamentação é necessário que haja dedicação e carinho. O contato estabelecido no momento do aleitamento fortalece os laços afetivos entre mãe e filho, construindo uma relação de segurança, confiança e proteção para o bebê.

A pega correta do bebê exige abocanhamento da auréola mamária. Caso a criança sugue apenas os mamilos, irá feri-los e não haverá esvaziamento da mama, interferindo na adequada nutrição da criança.

O posicionamento entre mãe e bebê facilita a amamentação. O corpo do bebê deve estar voltado inteiramente para mãe, colando barriga com barriga. Afinal, o contato visual nesse momento é de extrema importância, pois assim é estabelecido o vínculo afetivo entre mãe e filho.

Recomenda-se a amamentação por livre demanda, o bebê deve ser amamentado sem restrições de horários. Em geral, o bebê em aleitamento materno exclusivo mama de oito a doze vezes ao dia.